O Colégio Fênix surgiu a partir de uma reflexão de professores e pais de alunos, que imaginavam uma escola que não tivesse a perspectiva mercadológica e que tivesse um projeto educativo voltado para o contexto social, considerando os valores morais e culturais que indicam os fins da Educação.

Dos debates iniciais logo surgiu uma posição consensual que foi a idéia de que a escola não teria um dono e nem a perspectiva de lucro, sendo as despesas divididas na forma de mensalidades e isso, do ponto de vista político e jurídico, o que melhor se apresentou foi uma concepção de escola com o sistema cooperativo, dado o consenso de se fazer uma escola onde em vez de dono, seria uma propriedade coletiva.

De posse das informações legais para a criação de uma cooperativa educacional, se estabeleceu a criação de 80 cotas, sendo 40 na categoria pais e 40 para professores. O valor de cada cota foi definido e cada interessado passou a depositar o recurso para formar um fundo de aquisição dos equipamentos necessários para uma escola. Estabelecida a questão monetária veio a aprovação do estatuto que formalmente criou a AECIC, Associação de Ensino Cooperado e Integral de Curitiba, com a finalidade exclusiva de ser a mantenedora do Colégio Fênix.

É válido registrar que uma escola precisa de uma entidade jurídica para ser a sua mantenedora sendo, portanto, a AECIC, a entidade mantenedora do Colégio Fênix. A mantenedora tem uma direção colegiada onde estatutariamente determina que os cargos de direção são divididos meio a meio entre pais e professores, sendo eleitos por voto direto dos cotistas. A direção da mantenedora administra financeiramente a escola e, além disso, indica a direção pedagógica, com autonomia para cuidar das atividades educacionais, dentro do que estabelece o Regimento Escolar.

No que se refere às famílias que matriculam seus filhos na escola não há a obrigatoriedade de ser um cotista, pode se tornar por livre arbítrio, nesse caso reembolsando um associado que decida pelo desligamento. É importante registrar que a maior parte dos estudantes não é de pais cotistas.