O embasamento teórico filosófico do Colégio Fênix fundamenta-se numa abordagem sócio-interacionista, baseada nos princípios de Lev Vygotsky. Tem por base o desenvolvimento do indivíduo como resultado de um processo sócio-histórico, enfatizando o papel da linguagem e da aprendizagem nesse desenvolvimento. Sua questão central é a aquisição de conhecimentos pela interação do sujeito com o meio. A aprendizagem acontece na troca com outros sujeitos e consigo próprio, internalizando conhecimentos, papéis e funções sociais, o que permite a formação de conhecimentos e da própria consciência. O professor tem o papel explícito de interferir no processo, diferentemente de situações informais na qual a criança aprende por imersão em um ambiente cultural.

O trabalho escolar baseia-se nos princípios de David Ausubel, onde o conceito principal refere-se a aprendizagem significativa, ou seja, um processo pelo qual a nova informação interage com a estrutura do conhecimento do indivíduo.

A teoria da aprendizagem de David Ausubel focaliza principalmente o cognitivismo, reconhecendo a importância da experiência afetiva. O autor propõe que os conhecimentos prévios dos alunos sejam valorizados, para que possam, desta forma, construir estruturas mentais utilizando, como meio, mapas conceituais que permitam descobrir e redescobrir outros conhecimentos.

A partir disso, a aprendizagem é mais significativa à medida que o novo conteúdo é incorporado às estruturas de conhecimento de um aluno e adquire significado a partir da relação com seu conhecimento prévio.

Quando o conteúdo escolar a ser aprendido não se liga aos conhecimentos prévios, ocorre o que Ausubel chama de aprendizagem mecânica, esta aprendizagem torna-se, de certa forma, sem valor, visto que prioriza a decoreba, os alunos estudam para a avaliação e após ela, esquecem o conteúdo.

Ausubel refere-se a estes dois extremos como complementares, no sentido de que, em alguns momentos faz-se necessária a aprendizagem mecânica, mas a aprendizagem significativa gera conhecimentos, sendo estes aplicáveis e utilizados além do espaço escola, como também nas vivências e no cotidiano.

A educação possui um papel essencial na sociedade, não apenas pela transmissão e veiculação de saberes, mas por possibilitar que esses saberes adquiridos pelos indivíduos se constituam na base para o futuro de qualquer sociedade.

Tendo em vista a educação do Terceiro Milênio, nos meados da década de 90 a UNESCO – Órgão das Nações Unidas responsável pela educação e cultura criou uma Comissão Internacional sobre o Desenvolvimento da Educação para pensar e elaborar diretrizes para a educação do século 21. Esta comissão sugere que a educação organize-se em torno de quatro aprendizagens que fundamentam o conhecimento individual e o desenvolvimento da sociedade.

Desse modo, os resultados dos estudos dessa comissão, estão consubstanciados no relatório intitulado Educação: um tesouro e descobrir, mais conhecidos como Relatório Jacques Delors. No que propõe para a educação deste século, esse Relatório pode ser sintetizado em um dos seus parágrafos:

Para poder dar respostas ao conjunto de suas missões, a educação deve organizar-se em torno de quatro aprendizagens fundamentais que, ao longo de toda a vida, serão de algum modo para cada individuo, os pilares do conhecimento: aprender a conhecer, isto é, adquirir os instrumentos da compreensão, aprender a fazer, para poder agir sobre o meio envolvente, aprender a viver junto, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas; finalmente aprender a ser, via essencial que integra os três precedentes. É claro que estas vias do saber constituem apenas uma, dado que existem entre elas múltiplos pontos de contato, de relacionamento e de permuta. (DELORS, 1998, p.89-90 Grifo nosso).

Conscientes da importância dos princípios citados acima é uma preocupação constante da escola formar alunos conscientes e críticos do seu papel na sociedade, bem como preparados para exercer sua cidadania.